terça-feira, 6 de maio de 2014

Golden Stratocaster - Made in Brazil 80'/90'

#011

 
Olá galera, para o exemplar de número 11 é com alegria que apresento uma Golden Stratocaster do final dos anos 80' e início dos anos 90', sem dúvidas é a melhor guitarra brasileira (modelo Stratocaster) entre os instrumentos do meu acervo, ou seja, apresento o santo graal das Stratocasters já construídas/montadas em solo brasileiro, pois apresenta o conceito mais nobre, puro e elevado de uma Stratocaster. Objeto de desejo pela maioria dos "Stratoboys", comprar uma Fender hoje em dia se tornou sonho e ostentação para a maioria dos brasileiros, em razão da elevada carga de impostos e taxas de importação cobradas em nosso país. Essa Golden é a verdadeira cópia, é como ter o chassi e as madeiras da Fender por migalhas de dinheiro, posso afirmar sem dúvidas que essa Golden pertence a uma safra considerada as melhores stratos já produzidas/montadas no Brasil por qualquer empresa conhecida. É um instrumento que geralmente é anunciado por valores ridículos, mas é preciso garimpar com muita paciência esse diamante entre os sites conhecidos por nós colecionadores: OLX, Bom Negócio e Mercado Livre. Eu consegui esse belo exemplar por um preço que considero barbada, com o amigo e também colecionador gaúcho Leonardo Soares, que já tinha outra em seu acervo. Para diferenciar Essa guitarra é geralmente anunciada na casa dos R$ 300,00 Reais, valor que considero injusto por apresentar madeiras tão nobres, além de possuir construção de alto padrão internacional, é injusto independente do estado de conservação e originalidade, por esse modelo tão difícil de ser garimpado e colecionável. Essa guitarra daqui a alguns anos vai valer mais, não é possível que as pessoas ainda não tenham se dado por conta disso. Eu comparei com uma das minhas Fender, na ocasião, tive a oportunidade de avaliar que ela tem o padrão de construção semelhante a minha Fender mexicana Standard dos anos 90', a construção é muito semelhante, o braço tem medidas muito parecidas. Faço essas afirmações com total convicção e propriedade, não se trata de euforia ou ilusão, realmente apresenta qualidade impressionante para um instrumento que comprei por mixaria de dinheiro, ela se sai muito bem, se trocar o hardware se torna uma guitarra ótima, melhor do que as Giannini Stratocaster 80' e 90', Tagima dos anos 90' ou outras brasileiras de mesmo período, também supera as Squier coreanas da vida... melhor do que a Fender Southern Cross que tive [do último lote de 1995]. Você deve estar se perguntando: se realmente é feita em Alder e Maple, então não pode ser uma guitarra construída no Brasil, pois não são madeiras encontradas em solo brasileiro, além do mais, com tantas madeiras abundantes em nosso país, mais baratas e de fácil aquisição nos anos 80 e 90, por que eles iriam importar Alder e maple? Por que Maple se o Marfim é mais barato? Por que importar Alder se o Cedro, Mogno e o Marupá eram abundantes e baratos? É amigos, as perguntas são muitas e as respostas apenas teorizadas ou imaginadas. A incógnita é grande, mas vamos lá, a primeira teoria é que sejam as primeiras Golden a serem importadas, que pertenceriam a primeira leva de instrumentos da marca em solo brasileiro e para agradar o consumidor, capricharam na escolha dos fornecedores, para reduzir preços tiveram que mudar esses fornecedores e com isso, caíram as madeiras e o layout da guitarra. A segunda teoria conta que na época o país passou por um período de alta inflação e era mais barato trazer madeira de fora, por isso que a Golden importou alguns lotes de Alder e Maple da Coréia. A terceira teoria diz que esses braços e corpos já vinham de fora e eram apenas montados no Brasil, ou seja, bastava apertar alguns parafusos. Mas aí você deve estar pensando: "errado, na época era proibido importar essas coisas para o Brasil"...  é então que vem a quarta e última teoria: essas coisas entravam na ilegalidade mesmo, talvez contrabando de madeiras e peças, sabemos que não é impossível que tivesse acontecido isso no Brasil daqueles anos. E aí, qual a sua explicação? Confira a guitarra e opine:


PS: Antes que alguém me chame de ignorante, é bom lembrar que é claro que ter medidas bem próximas ou iguais a uma Fender, não a torna necessariamente uma Fender, mas pelo menos mantém o instrumento bem próximo do conceito inicial de uma stratocaster. Repito novamente: conforme escrevi antes, nossa experiência com essa Golden dessa geração anos 80' é que apenas as Sunbursts eram em Alder, as de cores sólidas eram em lâminas de compensado.



Especificações:

Nome: Golden

Modelo: Stratocaster
Série: ?
Madeira do corpo: Alder
Madeira do braço: Maple
Escala: Rosewood
Corpo - Shape: Stratocaster
Número de casas: 22
Headstock: Small Headstock
Neck Plate: Standard 4 furos
Configuração dos captadores: S/S/S
Captadores: Ceramico
Chave seletora: 5 posições
Controle: 1 Volume - 2 Tone
Cores: Sunburst
Ponte: Vintage Style - 6 parafusos
Tarrachas: Originais
Escudo e Knobs: Escudo amarelado com Knobs aged white
Fabricação: Made in Brazil
Ano: 1989 - 199? (Final dos anos 80 e início dos anos 90)
Fabricante: Golden
Período de Fabricação: Final dos anos 80 e início dos anos 90

Avaliação do Blog:


Braço: A-

Corpo: A-
Headstock: A-
Tocabilidade: A-
Hardware: D+
Captadores: C+
Construção: A-
Timbre: B+
Acabamento: A++
Madeiras: B+
Histórico: B+


Avaliação de Mercado:

Geralmente anunciado: R$ 300,00

Valor justo: Já está no valor justo.
Barbada: R$ 300,00 já é uma barbada, acreditem.





Sobre a construção desse instrumento, não há o que se possa reclamar, contrariando a lógica dos instrumentos brasileiros dos anos 80' e 90' (existem péssimos instrumentos feitos pela Golden no Brasil, que certamente não é o caso desse exemplar, onde comparei lado à lado com minha Fender Stratocaster Made in Mexico e as duas possuem construção semelhantes, mesmo padrão de qualidade) as partes tem bom encaixe no tróculo tornando simples a montagem. Conceito da construção: A- (Excelente).



Os captadores em cerâmicos são limitados e não proporcionam aquela definição e equilíbrio que são esperados na estrutura harmônica e timbrística do instrumento, ainda que eu já tenha visto captadores muito piores que esses em questão de cerâmicos, ou seja, eles não são tão ruins assim, embora apresentem baixo ruído quando adicionado Drive em pequenas quantidades, os captadores desse instrumento necessitam de substituição para ressaltar o verdadeiro valor dessa Stratocaster, se realmente se deseja tirar mais dela. Conceito final dos captadores: C+ (Bom)



Se os captadores são de cerâmicos e mesmo limitados parecem quebrar o galho, o mesmo não se pode afirmar do restante do hardware. As tarraxas são muito simples, mantendo aquele padrão básico dos anos 90 das guitarras brasileiras de baixa custos, infelizmente não mantém a afinação durante execução de um solo ou até mesmo durante uma música com simples acordes. Usar a alavanca está fora de cogitação, além de desafinar totalmente a guitarra, a ponte parece frágil e não volta corretamente ao seu ponto se origem (o chamado ponto zero de referência da estabilidade), a ponte definitivamente não apesenta estabilidade. Conceito do hardware: D+ (Regular).



Em relação ao acabamento final, o instrumento tem excelente pintura, particularmente sempre fui fã da Sunburst nas minhas Stratocasters, comparei lado à lado e lembra muito o acabamento da minha Fender Stratocaster Special, é exatamente a mesma tonalidade e o mesmo padrão de Antique Sunburst, de fato essa guitarra é muito bonita, o verniz em PU deixa com ótimo visual e aparência satisfatória, nada que se possa reclamar. Conceito final do acabamento: A+ (Top).



O shape do corpo mantém as características tradicionais de uma Stratocaster Fender genuína, mantendo um ótimo padrão em relação ao design e aparência. Aparentemente, é possível identificar duas peças (blocos) coladas. Conceito final do corpo: A- (Ótimo) 



As madeiras utilizadas no corpo desse instrumento foram minuciosamente selecionadas e assim garantida a qualidade dessa peça, feita em dois blocos de Alder, sim Alder! É possível ver através dos veios dessa madeira inconfundível nesse acabamento maravilhoso em Sunburst. O braço em Maple oriental (madeira lindíssima e cuidadosamente selecionada) recebe o complemento da escala em Rosewood, assim como da espécie Jacarandá, recebe com destaque os graves.  O corpo é uma junção de duas peças, sem necessidade de receber aquela lâmina para disfarçar imperfeições ou os indesejáveis vários blocos colados de madeira. Conceito final das madeiras: A- (Ótimo)



O braço é confortável e bem construído, deixando a guitarra com ótima pegada e desempenho satisfatório. A escala em Rosewood/Jacarandá reforça os graves, deixando o timbre mais encorpado e gordo facilitando o sustain. Conceito final do braço: A- (Ótimo). Uma guitarra com boas referências e características positivas, só deixa mais prazeroso o manejo e a execução dela, sendo ressaltada a boa tocabilidade. Conceito final de tocabilidade: A- (Ótimo). 


Outro ângulo desse belíssimo instrumento feito sobre o que existe de melhor, que conforme comentei antes, deve ser garimpado nos melhores sites de vendas com a maior paciência possível e lapidado com o melhor hardware que nosso bolso permite conseguir: captadores em alnico, ponte big block e tarrachas com trava.


Ampliando a imagem, poderá ver detalhes dos veios da madeira através do Sunburst, o Alder assim como o Ash e o Basswood, faz parte da história dos melhores instrumentos já produzidos até hoje, principalmente ao que diz respeito ao mundo das Stratocaster e da obsessão dos Stratoboys pelas madeiras utilizadas nos instrumentos construídos nos anos 50 e 60.



Na foto é possível ver o formato do headstock que segue os padrões utilizados nas Fender Stratocaster pré CBS (com exceção do ajuste do tensor que está no headstock, ao invés de estar no tróculo como nas Fender 50' e 60'), no estilo "Small headstock", possui bom recorte (pelo visto, a Golden tinha um ótimo gabarito e era possível fazer uma réplica perfeita, motivo pelo qual a Fender veio a processar a empresa) e ótimo acabamento final em verniz PU, recebendo o conceito final de A- (Ótimo). 



Conforme já escrito anteriormente, o headstock recebeu atenção especial sendo recortado no mesmo padrão das Fender pré CBS (Small Headstock) evidenciando toda a beleza da peça, embora o logotipo "Golden" ainda assuste muita gente. Conceito final do headstock: A- (Ótimo).



Sobre o histórico passado da guitarra, infelizmente não tenho nenhuma referência dessa série produzida pela Golden nos anos 80', ainda mais para desmistificar esse mito de ser realmente brasileira ou se foi importada. Muitas pessoas costumam associar as Golden como instrumentos ruins, mal acabados e mal construídos, não se enganem amigos, ela é ótima e tem construção acima da média da maioria dos padrões (ou falta de padrões) das guitarras produzidas no Brasil, especialmente pela Golden. A guitarra tem ótimo custo X benefício, infelizmente, mais um exemplo de instrumento subvalorizado em nosso país, embora eu tenha a certeza de que poucas pessoas tiveram a oportunidade de tocar ou testar uma igual. Pela raridade do exemplar adquirido recentemente, ganha conceito final do histórico um majestoso A- (Ótimo).


William de Oliveira

20 comentários:

  1. amigo pesquisando e achei o seu blog , quero lhe fazer uma pergunta . pois sou muito fã de stratocaster detalhe na minha época de "metaleiro" eu odiava stratos , hoje são minhas prediletas, apesar de ser muito fã de tele e de semi acusticas. mas vamos la ; tenho uma strato antiga da michael acredito final do anos 90 . ja me disseram que é cedrinho com braço de marfim será que é isso mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo, obrigado por entrar em contato, sobre as Michael dos anos 90' eu sei pouco sobre elas, mas a única que peguei até hoje tinha o corpo em compensado e era do final dos anos 90, lembro que não tinha o corpo de madeira sólida, mas não posso afirmar que todas elas sejam assim. Você poderia desaparafusar o braço e assim poder olhar na cavidade de encaixe com o tróculo do braço e ver se é de madeira sólida ou compensado. Fique ligado que assim que eu conseguir outra, irei postar aqui no blog. Abraços.

      Excluir
  2. Mano que guitarra linda! Essa Golden é rara! Além dessa tua só me lembro de ter visto mais duas nesse estilo (e nem estavam tão conservadas como essa). Muito bem feita, pena que não se fabricam mais delas. Ela lembra muito também as Eagle Strato dos anos 1990. Dá pra ver que o estilo do escudo, as tarraxas e a té o corte do headstock são os mesmos. Não é de se espantar a semelhança, visto que a Eagle e o Golden são empresas do mesmo grupo. Parabéns pela bela e rara guitarra que tens!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa Golden é muito boa mesmo, eu já peguei mais duas e elas realmente são em Alder, apenas a minha preta que ainda não sei porque não tirei a tinta dela e não consigo ver os veios, mas o braço dela é de maple com escala em rosewood. Sobre as Eagle strato, até lembram esteticamente mas essas Golden são bem diferentes, são muito melhores que as Eagle, possuem construção, acabamento e montagem superiores, além das madeiras que já citei. O hardware sim é ruim e semelhante ao da Eagle, por isso é um bom instrumento para customizar.

      Excluir
  3. Qual a chance da madeira da escala ser pau-ferro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que nenhuma chance, está mais para o Rosewood/Jacarandá mesmo.

      Excluir
  4. Olá! Mais uma vez parabéns pelo trabalho de pesquisa! Uma dúvida em relação a esta guitarra: como você conseguiu esta informação do ano de fabricação? Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Julio, obrigado por entrar em contato, na verdade eu consegui baseado nas lembranças das pessoas que compraram essa guitarra em loja na época. Eu preciso corrigir o post, essa Golden Stratocaster é do final dos anos 80 e início dos anos 90... 89/91

      Excluir
  5. Amigo,tenho uma Stratocaster Ibanez Blazer Bl550 de 35 anos! Sabes algo sobre essa linha feita no Japao em 1981 julho! mais nova do q eu um mêshttp://m.olx.com.br/anuncio?ad_id=232607457&last=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jorge, eu jamais toquei nessa guitarra mas acredito que seja um ótimo instrumento! Sempre vejo as pessoas elogiarem esses instrumentos japoneses e gostaria de poder ver pessoalmente algum dia, abração! PS: Se quiseres postar ela aqui no blog me avisa!

      Excluir
  6. http://m.olx.com.br/anuncio?ad_id=232607457&last=1

    ResponderExcluir
  7. Ola William, parabénspelo teu blog! adorei! Eu tenho uma strato cor verde abacate desbotada(quase beige clara)que eu comprei de um amigo já há anos. Foi anteriormente colocado um "fender" no headstock totalmente fora de proporção. Mas esta strato acho que deve de ser uma goldem de época análoga atua pela espantosa semelhança nas proporções, Oheadstock é exatamente igual(com a carateristica de ter a tarracha da mi bordona perto do canto do headstock assim como a tua, Também o shield é amarelado (não sandwich)e com a mesma quantidade de furoa e exatamente n mesma posição dessa bela strato sunburst.A única diferencia que achei é que na minha os 2 dots da casa 12 estão um pouco mais afastados entre eles. Pderias por favor postr foto de perto da parte traseira das tarrachas e também da ponte para ver o tipo de saddles? o que estava na minha são o modelo vintage da Fender. Podes informar que espessura tem o corpo dessa stratp? Muito obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu teria de fazer outro post com essas informações, mas me envie para o meu email as fotos da sua guitarra para que eu possa comparar. lwnk@bol.com.br

      Excluir
  8. Desulpa não ter dito meu nome William. Meu nome é Khalil Mubarak

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por entrar em contato Khalil, fico no aguardo das suas fotos. Abraços!

      Excluir
  9. Olá William, parabéns pelas pesquisas! Esses tempos, encontrei minha primeira Guitarra, uma Golden preta, que estou restaurando. Ela tem exatamente o mesmo desenho do headstock, bem como a mesma tipologia da logo. No entanto ela não tem o acesso para ajuste de tensor no head, sendo preciso desmontar o braço para efetuar essa ação. O corpo é em compensado, e a pintura tem um acabamento externo muito bom. Por dentro, a parte de fiação é bem tosca e a solução de aterramento utilizada foi um arame fininho, que se conecta a todos os potenciometros e descarrega na ponte. Hehehe Vc tem informações sobre a data deste lote e madeira usada? Estou aguardando retorno de contato com a fábrica da Golden, ver se eles têm informações. Estou fazendo um registro fotográfico minucioso do processo de restauro para auxiliar outros curiosos como eu. Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Guilherme, obrigado por entrar em contato. Infelizmente a sua veio em compensado, nós sabemos da existência dessas Golden em compensado, realmente é uma loteria acertar as que são em Alder sólido. Acredito que essas guitarras pertenciam ao final dos anos 80 e início dos anos 90, se a Golden responder alguma coisa, por gentileza compartilhe comigo. Outra coisa, entre em contato para postarmos todo o processo de restauro do seu instrumento aqui no blog. Abraços!

      Excluir
  10. Oi amigo, vende essa guitarra ?

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde Willian, tenho exatamente este modelo Sunburst, corpo em Alder com ajuste do tensor no tróculo,realizando uma pesquisa verifiquei até o momento que somente a sua e a do Francisco do blog guitarras e gambiarras possuem ajuste no headstock, teria alguma informação sobre isto?

    Seu Blog está de parabéns!
    Grande Abraço!

    ResponderExcluir