quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Lançamento Expomusic: Giannini Supersonic (Edição comemorativa 115 anos)


Tive o prazer de conhecer (e testar) a tão esperada Giannini Supersonic, edição comemorativa de 115 anos na Expomusic desse ano. Gostaria de fazer meu review pessoal sobre o instrumento.



Dann Costara realizando o que muitos gostariam de ter feito na Expomusic 2015

PROPOSTA: homenagear a Supersonic modelo 60' nos 115 anos da Giannini. 

DESIGN: o corpo é quase idêntico ao original, com pequenas mudanças na parte de trás, junção do corpo com o braço. O braço é bem confortável de tocar, apesar de ser levemente mais grosso do que o da clássica. O Head tem o design quase idêntico e chama atenção pela logo escolhida. Fiquei sabendo que no caso da Supersonic 60', a logo do headstock foi uma dica valiosa do mestre Roberto Fontanezi. A parte de trás tem o selo comemorativo e a informação que ela é montada (assembled) no BRASIL! Tem um tensor (que não existia no modelo tradicional) que fica na parte inferior do braço, super confortável pra regular. 



MADEIRAS: corpo em Alder, braço em Maple canadense e escala em Rosewood. 




CAPS: três single coil, enrolados sob medida, imitando o modelo clássico. A impedância e as combinações também são iguais ao modelo 60. As três chaves seletoras são brasileiras! Os knobs são aqueles 'chapéu de bruxa' usados em modelos SG, preto translúcido com alumínio na parte de cima. A ponte é Wilkinson, tipo Strat, com uma alavanca que proporciona uma ação fraquinha, meio dura. O escudo não é tortoise, apesar de parecer. Foi minha decepção. 




TOCABILIDADE: A tocabilidade dela é muito boa e tem todas aquelas combinações de captador, únicas da Supersonic.

TIMBRE: O som é espetacular, com muita saída, muito ataque, e eu fiquei sabendo que ela foi aprovada pelo criador, o mestre Carlos Alberto "Sossego", que acompanhou todo o processo de relançamento, dando informações valiosas para o pessoal do desenvolvimento. 


TIRAGEM LIMITADA: Segundo eles, foram fabricadas apenas 50 UNIDADES, ou seja, é um lote exclusivo para fãs, colecionadores etc. 

VALOR: Por conta desse monte de detalhes, o preço tende a ficar um pouco salgado, beirando os 2 mil reais. Existe a possibilidade, caso faça sucesso, de a marca lançar uma versão mais popular, com corpo em baswood e peças genéricas com preços mais acessíveis. Bom, foi minha impressão desse relançamento. Quero ser um dos 50 felizardos em ter essa beleza na parede. 



PRÓXIMO LANÇAMENTO: a GEMINI vem aí!! 2016 realmente promete!



Giannini Gemini anos 60'

A Giannini inclusive respondeu aos emails enviados por um fã que postou no grupo de guitarras brasileiras vintages:

Giannini: "Olá Marco, boa tarde! Desculpe a demora para lhe retornar. Diante das manifestações e das opiniões que aqui foram compartilhadas e até nos próprios grupos de admiradores de instrumentos antigos que sempre são de extrema valia para a Giannini iremos conversar com nossa Diretoria para que esta decisão de produzir somente 50 unidades seja repensada. Mais uma vez agradecemos por sua atenção e por seu carinho conosco".


Dann Costara




--

Apenas para acrescentar a minha opinião dentro do post do Dann, quando fiquei sabendo do lançamento dessa guitarra fiquei eufórico conforme todo mundo com o que iria vir. Claro que também pairava no ar o medo de que a Giannini pudesse cometer os mesmos erros do passado, quando relançou reedições que quase ninguém aprovou devido a alterações grotescas nos instrumentos considerados clássicos vintages e originais. Dessa vez, confesso que a Giannini me surpreendeu positivamente. A Supersonic da edição comemorativa dos 115 anos realmente é muito linda, ainda não vi pessoalmente mas me pareceu um instrumento muito bem construído e acabado. Certamente foi construída lá fora (talvez China) e montada aqui no Brasil. Tenho apenas duas reclamações que gostaria de deixar aqui manifestada como minha opinião: aquela ponte utilizada com dois pinos/pivôs é considerada de padrões modernos e absolutamente não combinou com o instrumento, que apesar de ser Wilkinson, mereceria uma ponte no estilo vintage de seis parafusos. Acredito que esse tenha sido o maior erro de escolha do hardware nesse instrumento, não faz sentido nenhum algo clássico utilizar hardware com conceitos modernos. A segunda coisa que achei que não combinou foi essa seleção de madeiras, o Alder e o Maple decididamente não são madeiras nacionais e eu acho que não tem absolutamente nada a ver com esse instrumento que se auto denomina brasileiro. Poderiam ter feito as 50 unidades como o modelo original dos anos 60, corpo em Cedro e braço em Peroba conforme o original da época ou até mesmo o clássico Marfim com escala em Jacarandá da Bahia. Pois bem galera, essa é apenas a minha opinião e ninguém é obrigado a concordar com ela, nem mesmo a Giannini. Certamente irei lutar para ser um dos felizardos e tentar obter uma dessas 50 unidades para poder acrescentar no meu acervo e fazer par para a minha Giannini Supersonic 60' clássica e original com quase 50 anos.

William de Oliveira



Giannini Supersonic 60'

2 comentários:

  1. Bela guitarra. Belo post. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Douglas, uma pena é o valor dela de loja que descobri que é muito mais do que nós todos esperávamos! Coisas da Giannini... abraços

      Excluir