segunda-feira, 22 de junho de 2015

Refinish: Como pintar sua guitarra


Olá amigos, o post é para quebrar o galho de muita gente que gosta de brincar de professor pardal em casa e que gostaria de pintar pessoalmente ou customizar seus instrumentos. A ideia aqui é apenas dar uma receita de bolo nua e crua para que vocês possam ter uma ideia melhor do processo. Existem muitos vídeos no Youtube ensinando a pintar, mas sinceramente, compre sua pistola (depois eu vou indicar qual no meio do post) e pratique, pratique muito, existem coisas que só se aprendem na prática e essa é uma delas. Outra coisa que preciso sugerir é que ninguém começa a aprender com um instrumento caro ou top de linha, por isso peque um instrumento barato e de preferência antigo que esteja precisando melhorar o visual. Nada de querer aprender a dar refinish em Fender, pelo amor de Deus, levem a um luthier capacitado e deixe de ser orgulhoso ou burro como preferir. Sempre costumo dizer para os meus amigos que nenhum estudante estagiário de museologia aprende a restaurar utilizando uma pintura do Picasso, então galera, para não causar aborrecimentos, levem a um luthier e não me venham pedir conselhos e nem consolos se der errado.




Também não temos pretensões de formar nenhum luthier com o post, mas sim pessoas autodidatas para aprender a  mexer em seus instrumentos. Acredito que precise de muito estudo e empenho durante anos para que a pessoa possa se auto denominar um luthier de verdade, e para ser muito sincero, conheço poucos de verdade. A grande maioria dos luthiers que tenho adicionados no meu perfil do facebook são pessoas que nunca abriram um manual, nunca fizeram um curso e nunca buscaram aperfeiçoamento ou qualificação profissional. Geralmente são um bando de curiosos desempregados que resolvem tentar se inserir nesse mercado de trabalho e por isso eu não levo a sério, eu nunca levaria um instrumento meu para um cara que eu sei que aprendeu a pintar um instrumento olhando um vídeo no Youtube, pois se é para fazer de um modo amador, faço eu mesmo em casa. E assim por diante, trocam os trastes da escala, mexem em todo instrumento e tudo isso através de uma aprendizagem caseira utilizando a Internet. Não é que eu esteja desprezando essa forma de saber, todas elas são válidas, mas acredito que para um sujeito se auto proclamar luthier, deveria no mínimo aprender com outros profissionais da área no dia a dia, na prática diária, e não só apenas mexendo de curioso em casa, caso contrário, qualquer curioso de fundo de quintal irá comprar um alicate, algumas ferramentas, um tubo de WD40 e voalá! Prefiro então que essas experiências sejam como um hobbie.




Assim, todas as experiências citadas a seguir são de nossas experiências, não tem obrigação nem intenção de serem corretas no julgamento profissional dos amigos e verdadeiros luthiers. Lembre-se que para aprender, você deve se divertir, não tenha a pressão em acertar de primeira vez. Para isso, compre uma pistola de pintura para aprender, treinar e depois pintar a guitarra. Não digo para investir muito nisso, então o negócio no início é comprar um equipamento amador e barato. Nesse caso, é possível fazer uma boa pintura usando uma pistola pulverizadora, já que a mesma consegue pressão suficiente para formar a névoa de tinta, que permite uma aplicação de tinta sem escorrer sobre o corpo. Só aprender a regular o bico e pronto!!! Ela é barata, funcional e de simples uso para pequenos projetos. Além disso você poderá utilizá-la para outras coisas e não irá se arrepender, poderá também dar acabamentos em pedais handmades. Único ponto negativo é ser de plástico, assim, os solventes de pintura em contato prolongado acabam deteriorando o material plástico do bico. Se fosse metálica seria perfeita pra trabalhos pequenos como este. Então uma dica é colocar os produtos (seladora, tinta e verniz) só no momento em que for usar e logo depois já limpar a pistola imediatamente. Mãos a obra:

Materiais: 

- 3 lixas 120
- 3 lixas 220
- 3 lixas 320
- 3 lixas 400
- 6 lixas 600
- 2 lixas 1200
- 2 lixas 2000
- Taco para lixar (pode ser feito com pedaço de madeira com borracha na base, 7cm x 13cm)
- Flanelas limpas para limpar os materiais antes de aplicar a seladora, tinta e verniz)
- 300 ml de seladora nitrocelulose Sayerlack (irá diluir, então o volume final será por volta de 500ml)
- 400ml de tinta DUCO branca
- 400ml de tinta DUCO de sua preferência escolhida: Sonic Blue, Surf Green.. CAR... etc
- 400ml de Verniz Laca nitrocelulose
- 1 rolo de fita crepe para proteger escala do braço e cavidades do corpo.
- Massa número 2 para polir
- Cera automotiva para polir
- 2 litros de diluente Sayerlack/Thinner (para diluir e lavar a pistola)
- Pistola Pulverizadora




Pessoal, o volume de seladora, tinta e verniz é o suficiente pra fazer todo processo e ainda sobrar. Coloque um volume maior já que se trata de um primeiro teste, então a probabilidade de erros sempre vai ser grande. Tenha um ambiente amplo, com pouca umidade e boa luminosidade. Lembre-se que em apartamento isso não seria possível por vários fatores, o cheiro forte que irá ficar dos produtos é um deles. Assim, a primeira parte é sempre retirar a tinta original do corpo de seu instrumento. Use lixa numero 100 ou próximo a isso até retirar todo o verniz e uma boa parte da tinta. Depois passe para lixa 220 pra não arranhar a madeira com um grão de lixa grosso, depois alterne entre as lixas 300, 400 e 600 (essa última etapa com lixa fina faz com que necessite de menor quantidade de seladora pra tapar os poros da madeira). Não recomendo utilizar removedor de tinta, apesar de ser mais prático e não desnivelar a superfície do corpo, os componentes químicos do produto podem penetrar nas fibras da madeira e atrapalhar completamente o resultado final. Você não irá querer prejudicar a madeira do seu instrumento, nem deixar com manchas ou alterações causadas por esse produto químico. Além disso, use lixa, jamais remova a tinta com espátulas, pás, facas ou semelhantes. Para evitar ondulações na superfície ao lixar, usem sempre um taco de lixar, assim a superfície permanece plana.




Após lixado e limpo, o corpo vai para aplicação da seladora. Como gostamos de instrumentos vintages, a ideia é utilizar nitro nos instrumentos por uma série de vantagens que poderei abordar em outro post, sugiro utilizar a seladora com base nitrocelulose da Sayerlack, seguindo as recomendações do fabricante nas porções de diluição. Aplique 3 ademãos bem finas até cobrir todos os poros do corpo e 24 horas de secagem completa (dependendo de sua cidade e da umidade do ambiente, pode levar mais do que isso). Depois use lixa dágua 600, limpe e partiremos para o terceiro passo... hora de preparar o fundo branco e a tinta DUCO da tonalidade de sua preferência (Sonic Blue, Fiesta Red, etc). Sabemos que para conseguir um Relic ao longo dos anos com ar de naturalidade tem que ser feito usando selador, tinta e verniz em nitrocelulose. Assim, fica o mais próximo de uma Fender pré-cbs que eram pintadas com estes produtos. Escolha no catálogo uma tinta LACA/DUCO na cor branca, peça ajuda ao vendedor caso tenha dúvidas em relação a esses produtos. Geralmente se encontra em loja de tinta automotiva, as tintas são preparadas na hora. Compre 400ml de cada e é o suficiente, até irá sobrar para novos projetos.




Dando sequência, aplique 3 ademãos bem finas do fundo branco e espere 24 horas de secagem. Depois uma lixa dágua bem leve, número 600 só para retirar possíveis defeitos na aplicação do fundo e criar atrito para aumentar a fixação com a tonalidade de sua escolha, que virá por cima. 




Aplique a tinta DUCO branca como fundo para ficar com o mesmo visual das pré-CBS, quando iniciar o relic através da ação do tempo durante os anos, ele aparecerá.  Dá esse aspecto de degradê, com o amarelado do verniz, tonalidade, fundo branco e madeira.

Continuando, aplique 3 ademãos de Duco (tonalidade), 24 horas de secagem e lixa d’água 600 para uniformizar a superfície e diminuir os efeitos indesejados que chamamos de “casca de laranja”. Depois, uma última ademão fininha da tonalidade, 24 horas de secagem, lixa d’água 600 e limpeza. Lembrando que todas as etapas devem ser feitas com aplicações de camadas finas para evitar que fique muito "carregada", por tanto, cuidado para não pesar na demão.



       
Partindo para última etapa, faça a aplicação do verniz em nitrocelulose. Utilize o verniz Laca Nitro da Sayerlack e siga rigorosamente as instruções do fabricante. Aplique 3 ademãos de verniz e espere 24 horas de secagem. Depois inicie o processo de uniformização da superfície, use lixas dágua 600, 1200 e 2000. Lembrando que nessa etapa, este processo de lixamento é feito utilizando um taco de lixar e lixas molhadas em sabão com detergente. As lixas molhadas com a mistura de água e detergente servem para não causar ranhuras indesejadas no acabamento de sua pintura. Após isso, inicia-se o polimento com massa de polir número 2. O polimento à mão cansa muito, mas quanto maior a sua dedicação, melhor será o resultado. Não tenha pressa em terminar tudo de uma vez só, a lembre-se que a pressa é inimiga da perfeição. Uma politriz elétrica pode te ajudar muito nesta etapa. Depois de polida com a massa número 2, aplique a cera de polir automotiva. O resultado ficará magnífico para um trabalho amador e utilizando apenas ferramentas simples. Quem tiver dúvidas nas etapas entre em contato que responderemos na medida do que for possível e do nosso conhecimento.

Abraços

William de Oliveira e Moisés Figueiredo


2 comentários:

  1. Muito show seu post cara, parabéns. Considero-me um curioso e entusiasta, já fiz algumas guitarras e agora estou com vontade de utilizar tinta nitrocelulose. Aliás tem um cara que faz em spray as cores da fender. O que voce acha ? Não sou a fim de comprar compressor e pistola e essa possibilidade de utilizar essas pistolas pulverizadora me animou. Mesmo assim gostaria de sua opinião a respeito da nitrocelulose em spray.
    Um abraço.
    Elcio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elcio, obrigado por entrar em contato. Eu acho que você precisa testar em um bloco de madeira e ver o resultado antes de partir para os instrumentos musicais, faça uma experiência e nos conte o resultado. Abraços!

      Excluir