segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Desenterrando uma lenda: Violão Fender Southern Cross


Olá amigos, é bem verdade que sempre que abordamos o tema "Southern Cross" no blog, logo lembramos das lendárias Stratocasters lançadas no Brasil em meados dos anos 90 pela Fender em parceria com a nossa saudosa Giannini. O problema é que sempre nos esquecemos de mencionar que naquele mesmo período, a Fender também lançou um violão que praticamente é aquela história: "ninguém nunca sabe, ninguém nunca viu". Dificilmente você, caro leitor, irá encontrar algum artigo ou post na internet sobre esse violão, (eu já procurei no Google e não encontrei absolutamente nada concreto) no máximo alguma citação em algum post do Facebook, mas quase sempre sem muitos detalhes ou contendo informações superficiais. Até mesmo se você for procurar imagens do instrumento, o que os caras postavam eram sempre violões controversos, nem sempre batendo as informações com o violão legítimo lançado pela Fender em solo brasileiro. Esse post então, retrata fielmente a primeira postagem escrita e registrada na Internet por alguém sobre esse violão. É claro que, havendo essa oportunidade, não deixaríamos de trazer para vocês e contar um pouquinho dessa história. 

Em meados de 2012 eu conheci através da Internet um cara que dizia gostar de instrumentos brasileiros vintages e que, mais tarde, se tornaria um dos meus melhores amigos. Por morar na época próximo a minha cidade, e por mudanças do destino, Leonardo Soares acabou por se mudar para Pelotas, cidade na qual resido atualmente. Algum tempo depois, e adquirindo instrumentos aos lotes para sua coleção, eis que aparece um lindo violão Fender Southern Cross. Na época o próprio Leonardo comentou comigo da aquisição do instrumento mas a verdade é que não dei muita importância. Estava eu iniciando uma coleção de guitarras Stratocasters e até então os violões não eram de meu interesse. Segundo o Leonardo, o violão veio através do site de compras Mercado Livre em 2013 (mas estava na própria cidade de Pelotas, na casa do antigo dono) e assim o manteve junto a ele até hoje. Passados alguns anos (mais precisamente três anos) tivemos a ideia de quebrar a paralisia de nossas vidas que seguem padrões e rotinas pré estabelecidas e imutáveis com a ideia de juntar alguns amigos e tentar formar uma banda de Hard Rock e Pop Rock, com músicas que vão desde os anos 60 a atualidade. No repertório, existe uma grande variedade de bandas e artistas, que vão desde John Lennon a Metallica, Dire Straits a Bon Jovi. 

Nessa empreitada de tirar músicas, organizar setlist, reunir os amigos e tocar nos ensaios, eis que o Leonardo me aparece com o violão Fender Southern Cross que já havia me apresentado anteriormente em visita à sua casa, mas que naquela ocasião, confesso que não identifiquei imediatamente se tratar dessa peça construída pela Giannini em meados dos anos 90. Para mim, na ocasião, era um simples violão Fender, sendo corrigido pelo próprio de se tratar do raro violão Southern Cross. Eu venho usando esse violão nos ensaios e coube meus mais sinceros elogios ao som do violão, onde me acostumei e me adaptei com seu braço, seu shape e suas formas o mais rapidamente possível. O captador me parece sem muita definição, mais puxado para os agudos, precisando equalizar na mesa ou no amplificador para dar aquela equilibrada, outro ponto fraco são as tarrachas, que são praticamente as mesmas utilizadas nas guitarras. Elas até seguram a afinação entre uma música e outra, mas a falta de precisão fica evidente na hora de afinar o instrumento. Braço confortável, é um violão clássico para acordes, não é um violão para fazer solos. Seu timbre é bem aberto quando tocado desplugado dos amplificadores, mantendo aquele timbre relativamente aveludado que procuramos nos violões. Vamos as informações:

Especificações:


Nome: Fender
Modelo: Folk
Serie: Southern Cross - GWSFLK
Fabricação: Made in Brazil
Ano: 1995
Fabricante: Giannini/Fender
Período de fabricação: 1992 / 1995
Madeira do tampo: Laminado de Sitika
Madeira da faixa e fundo: Laminado de Mogno
Madeira do braço: Mogno

Escala: Pau Ferro
Número de casas: 20Controle: 1 Volume - 1 Tone
Hardware: Captadores Shadow

Tarrachas: Originais cromadas
Largura do braço na pestana: 42mm
Curvatura da escala: 240mm
Comprimento da escala: 648mm

Avaliação do Blog:

Braço: B+
Corpo: B+
Headstock: A-
Tocabilidade: B+
Hardware: C+
Captadores: C+
Construção: B+
Timbre: B+
Acabamento: B+
Madeiras: A-
Histórico: B+


Avaliação de Mercado:

Geralmente anunciado: ?
Valor justo: ?
Barbada: ?











































3 comentários:

  1. Cadê os textos? Só tem os títulos?

    ResponderExcluir
  2. Eu tenho um, de 1995, fender southern cross, modelo normal (não folk), que já comprei com encordoamento de nylon. Será que era originalmente de cordas de aço???

    ResponderExcluir